Após a divulgação da programação da edição de número 15 do Convergência – o Encontro Nacional de Tabeliães de Protesto de Títulos e Documentos de Dívida –, que será realizado em Belém, no Pará, o Jornal do Protesto inicia uma série especial de matérias que detalham o evento que será realizado durante os dias 20 e 22 de setembro, no Salão Karajás, do Hotel Princesa Louçã, na cidade de Belém.

No segundo dia do Convergência, a abertura das palestras ficará por conta dos presidentes Léo Barros Almada, do Instituto de Estudo de Protesto de Títulos do Brasil (IEPTB/BR) e Armando Moura Palha, do Instituto de Estudo de Protesto de Títulos do Brasil, Seção Pará (IEPTB/PA). Em entrevista exclusiva ao Jornal do Protesto, Palha revelou detalhes de algumas palestras que ocorrerão durante o evento.

De acordo com o presidente do IEPTB/PA, assuntos em alta na sociedade fazem parte do das palestras, principalmente a postergação de pagamentos das custas do protesto e inovações tecnológicas que contribuem para que os Cartórios de Protesto ofereçam sempre excelência nos serviços prestados à sociedade.

O Convergência é uma oportunidade de compartilhar experiências e alinhar procedimentos, por intermédio do fomento de discussões por meio de plenárias, palestras, cases de sucesso, workshops, mesas redondas, que agregarão maior desenvolvimento profissional, tecnológico e administrativo aos serviços cartorários.

De acordo com Palha, “a escolha dos palestrantes foi feita com base nas necessidades mais próximas dos Cartórios de Protesto, e assim o critério maior foram as certas inquietações dos protestadores”.

Após conversas com outros notários especializados no segmento, como Claudio Marçal Freire, Léo Barros Almada, entre outros, “a escolha dos palestrantes e os assuntos abordados foram definidos”, disse Palha.

Durante os três dias do Convergência, assuntos como os limites do Poder Público e a outorga da delegação; os limites da Corregedoria e a autonomia dos Tabeliães; o novo Processo Civil que insere o protesto como forma de execução de sentença, além do direito comercial com títulos que são ou não passíveis de protesto. “Além disso, teremos a visão da Febraban que é indispensável e assuntos mais específicos que dizem respeito aos IEPTB’s de todo o País, além da alimentação do banco de dados nacional, que conseguimos por meio de provimento, serão amplamente discutidos durante as palestras”, explica Palha.

Paralelamente ao Convergência acontecerá uma maratona de hackathon. “Trata-se de um modo inovador de atrair jovens apaixonados por T.I para que encontrem soluções e avanços tecnológicos que ampliem a capacidade dos Cartórios de Protesto brasileiros”, finaliza Palha.

Leia mais em http://www.jornaldoprotesto.com.br/home