Um novo golpe envolvendo protestos tem ocorrido em Minas Gerais. Um criminoso liga para a vítima se passando por um funcionário dos Correios e diz que há um título de protesto em aberto. O farsante avisa que o título vence naquele dia e que tentou diversas vezes entregar a intimação pessoalmente, mas não conseguiu. Então ele passa um suposto número de telefone e orienta que a vítima entre em contato para negociar a dívida. Ao ligar para o número indicado, o integrante da quadrilha pede um depósito imediato em conta corrente para evitar que o protesto seja efetivado.

O Instituto de Protesto-MG, entidade que representa os cartórios de protesto do estado, informa que cartórios de protesto não entram em contato com devedores por telefone ou e-mail. “Nenhum título protestado é pago com transferências bancárias ou depósitos em conta corrente. A quitação só pode ser feita diretamente com o credor ou pessoalmente no cartório”, orienta Carlos Londe, tabelião e representante do Instituto de Protesto-MG.

Segundo Londe, o devedor tem um prazo de três dias úteis para efetuar o pagamento antes que o protesto seja efetivado e que pode ser feito diretamente no cartório ou via boleto, para os tabelionatos que adotem esse procedimento. “Se houver dúvida ao receber uma cobrança, a pessoa deve telefonar para o cartório de protesto antes de adotar qualquer atitude”, diz.

Em caso de dúvidas, Londe informa que no site protestomg.com.br consta o telefone de todos os cartórios do estado e que os interessados podem ligar e se informar. Em Uberaba, há o 1º Tabelionato de Protesto, localizado na avenida Leopoldino de Oliveira, 4140, no bairro Mercês. Telefone 3312-0566.

Fonte: JM Online