O golpe dos precatórios chegou a Americana. Uma correspondência recebida pelo LIBERAL informa sobre valores a resgatar referentes a um suposto processo com valores depositados em juízo contra as instituições de previdência privada Capemi Caixa de Pecúlios, Gboex e Montepio Mongeral.

O documento é remetido pelo 4º cartório de Precatório da Comarca de São Paulo. Este cartório não existe, de acordo com o site do CNJ (Conselho Nacional de Justiça), que disponibiliza a lista de todos os estabelecimentos desse tipo. A carta informa que a pessoa deve agendar por telefone o comparecimento a uma audiência para resgatar o dinheiro.

A correspondência é assinada por um nome que aparece em reportagens e sites que informam sobre golpes aplicados. Segundo estas publicações, quando alguém recebe a carta e liga, o bandido informa que a pessoa tem direito a um valor a resgatar, mas que antes precisa fazer um depósito.

O TJ (Tribunal de Justiça) alerta contra golpes do tipo, nos quais os bandidos citam supostas sentenças favoráveis e pedem depósitos referentes a pagamento de custas. Em alguns casos, afirma o TJ, o nome de funcionários que trabalham nas unidades judiciárias é usado indevidamente.

O LIBERAL ligou várias vezes para o “cartório”. Na primeira, foi agendado um outro atendimento telefônico para o dia seguinte. Em outras três vezes a pessoa que atendeu dizia estar sempre ocupada e pedia que fosse feita uma ligação em outro horário.

Numa das ligações a reportagem se identificou e disse que estava fazendo uma matéria sobre as correspondências. O homem disse que para falar sobre o assunto seria preciso ir lá para falar com alguém pessoalmente.

A SSP (Secretaria Estadual da Segurança Pública) foi questionada se havia investigações sobre o caso, mas não respondeu até o fechamento desta edição.

 

Fonte: liberal.com.br